Postagem em destaque

Foi anunciada mais uma nova trilogia de Star Wars

Falta praticamente um mês para a estréia episódio VIII de Star Wars (Os Últimos Jedi) e os fãs nesta semana receberam uma grande novidade: H...

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Facebook é acusado de direcionar anúncios predatórios para adolescentes vulneráveis

O Facebook está sendo acusado de ter como alvos, crianças e/ou adolescentes vulneráveis ​​com anúncios predatórios. Essa acusação vem de documentos internos da própria rede social obtidos por um jornal australiano.

Joy of tech - Bewaare the facebook Tick!

O The Australian obteve documentos internos confidenciais do Facebook que supostamente mostram como é possível que a empresa aproveite as inseguranças dos adolescentes para beneficiar os anunciantes.

O documento vazado foi escrito por dois executivos australianos do Facebook que incluía como a monitoração das postagens, comentários e interações dos usuários poderia ajudar a descobrir quando as pessoas se sentiam "derrotadas", "esmagadas", "estressadas", "ansiosas", "estúpidas", "nervosas", "bobas "," inúteis "e "fracassadas".

As informações sobre o humor dos usuários poderiam, portanto, serem adicionadas aos dados que o Facebook vende aos anunciantes. Atualmente, o Facebook fornece aos compradores de anúncios informações pessoais do usuário, incluindo status de relacionamento, local, idade e freqüência e de que maneira as pessoas usam o site de mídia social. O estado emocional pode ser uma adição lucrativa a esses dados.

Os métodos descritos no documento podem ser usados ​​em crianças tão jovens quanto 14 (idade mínima do Facebook é 13) que "precisam de um impulso de confiança". Os documentos também mostram que o Facebook vem desenvolvemdo ferramentas secretas para melhor obter insights úteis sobre como os  australianos e os adolescentes da Nova Zelândia estão se sentindo.

Como as acusações parecem ser verídicas, a rede social acabou emitindo pedido de desculpas para a segmentação de um público tão jovem. Embora tenham admitido que era errado enfocar as crianças desta maneira, o Facebook ordenou uma investigação interna, mas não mencionaram se explorar ou não as pessoas quando elas se sentem vulneráveis ​​é ético.

O Facebook afirmou que sua pesquisa estava em consonância com a privacidade e proteções legais, mas o news.com.au relatou que a empresa pode ter violado as diretrizes australianas para a publicidade e marketing para crianças.

Na última segunda-feira, o Facebook respondeu ao artigo do The Australian dizendo que a empresa não oferece ferramentas para atingir as pessoas com base em seu estado emocional. O gigante das mídias sociais afirma que a análise foi feita apenas para ajudar os profissionais de marketing a entender como as pessoas se expressam no Facebook.

No entanto, o Facebook admite que a pesquisa não seguiu o processo estabelecido de como a empresa revisa sua pesquisa. a empresa diz que vai "rever os detalhes para corrigir a supervisão".

Uma coisa é certa, o Facebook não só ataca os adolescentes mas também os adultos. Todos nós que usamos a rede social de uma certa maneira, se sentem presos a ela.  A necessidade de verificar os nossos status e/ou nosso feed de notícias tornou-se primordial, algo como uma extensão da nossa vida humana. Esse carrapato do Facebook atingiu a todos nós!

fonte: The Next Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pessoal, comentem, críticas e elogios serão bem aceitos. E eu respondo, posso demorar mas respondo. Esse velho lobo do mar tarda mas não falha!!!!

Leia antes a minha Política de Comentários.

Se quiser deixar o link de uma postagem sua, utilize o código abaixo trocando o que está escrito em letra maiúscula:

<p><abbr><em><strong>SEU NOME</strong> - último post do blog... <a href="<strong>LINK-DA-POSTAGEM</strong>"><strong>TÍTULO DA POSTAGEM</strong></a></em></abbr><p>

Related Posts with Thumbnails
Google