terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O dia em que o sonho acabou!


Meu primeiro contato com eles foi com um compacto simples que eu tinha ganhado de meu meio-irmão. E eu o tocava naquela minha vitrolinha a todo momento. Não sabia que eles já tinham se separando anos antes, mas suas canções me cativaram da mesma maneira como hoje fazem com os jovens. Eles são referências para qualquer um que entre na área musical, especialmente para aqueles que realmente são roqueiros e é inadmissível alguém entrar nesse meio sem conhecê-los.

Hoje após 40 anos, eles ainda são líderes em vendas no mundo. Eles continuam sendo um fenômeno musical. Sim, estou falando dos Beatles, e o compacto simples trazia as canções Let it be e You know my name. E com o passar do tempo, acabei descobrindo quem era a verdadeira cabeça da banda, o revolucionário por assim dizer, John Lennon!



Apesar da maioria das canções terem a assinatura Lennon/McCartney, dava claramente para perceber quem realmente escrevia cada música. Paul McCartney era mais pop, com canções bem mais leves, românticas e digestíveis. As canções de John Lennon eram mais ácidas, revolucionárias, e continham uma certa dose de amargura pela vida difícil que ele tinha levado (seus pais o abandonaram, ele morou com a tia). E vi em Lennon, simplesmente o cara!

Na época em que eu comecei a curtir os Beatles, John Lennon estava no seu jejum musical de 5 anos. Em 1975, ele decidiu abandonar sua carreira para poder acompanhar o crescimento do seu filho Sean, com a sua 2ª mulher, Yoko Ono(para muitos fãs, a principal causadora da separação da banda no fim dos anos 60). Um detalhe, ele já tinha um filho, do primeiro casamento, lá pela metade dos anos 60. Há também uma teoria de que esse retiro musical se deu ao fato de que John era um cara perseguido pela CIA, suas canções de protesto (especialmente contra a guerra do Vietnam) lhe rendeu muita dor de cabeça nos EUA, e ele não queria ser deportado.

Em 1980, eu trabalhava numa padaria, como ajudante (ou seja, um escravo). Não existia a internet, portanto as notícias não chegavam ao mesmo tempo, mas quando soube o lançamento de Double Fantasy, em novembro, não tive dúvidas, primeiro viriam os compactos simples e duplos, depois o LP propriamente dito. A principal música de trabalho, Just Like Starting Over falava de um renascimento, de um começar de novo, e com a volta de Lennon no cenário musical, crescia também a especulação da possível volta dos Beatles. Eu era só alegria e felicidade. Meu ídolo estava de volta. Encomendei tudo que ia ser lançado, tinha gasto toda a minha grana.

O dia 08 de dezembro transcorreu tranquilo, fui dormir por volta das 22h, pois tinha que acordar bem cedo no outro dia (para trabalhar, é claro!). Nem imaginava que nessa noite algo trágico estava acontecendo.

Somente no dia seguinte, 09 de dezembro, acabei tomando conhecimento da tragédia ao chegar às 5 da matina na padaria, e vi atrás do caixa um jornal, devia ser o Jornal da Tarde, com a primeira página estampando a morte de John Lennon, aquele fundo preto no jornal me entorpeceu. Fiquei ali parado, estático, sem conseguir pronunciar nada, com os olhos cheios de lágrimas. Fui para o fundo da padaria e longe de todos acabei chorando muito, dava murros na parede feito um louco. Não conseguia acreditar que um mongolóide, um traste, havia tirado a vida do meu ídolo máximo.

E eu não acreditava mesmo. Cheguei em casa, após as 14h, e colocava em todos os canais da TV, e lá estava o fato trágico. Era verdade, John Lennon tinha sido baleado por um cara que lhe tinha pedido um autógrafo próximo ao pédio em que morava. E aí eu cai na real, que o sonho tinha acabado.

O resto do dia foi péssimo, não sai da cama, fiquei ouvindo os discos dos Beatles e os do John lennon repetidamente. Parecia que o mundo havia desabado em cima da minha cabeça.

Hoje, 29 anos após a sua morte, lembro do passado e fica uma pontinha de tristeza. Sabendo que outro cara igual como ele, tanto em atitude quanto em pensamento, não mais haverá igual.


13 comentários:

  1. O assassino de Lennon tava com um livro na mão que eu gostei demais. Mas nem sabia que através daquele livro (O Apanhador no Campo de Centeio) uma pessoa se inspiraria para matar alguém.
    Lennon foi um revolucionário que cativou a todos com sua musica.
    Beatles é uma excelente banda.
    Se bem que, eu não tenho muitas músicas dos Beatles, mas minha música favorita é Twist And Shout.

    ResponderExcluir
  2. Oi Gato Cid :D!

    My God, não sabia que eras assim tão fã do Lennon. Eu também gosto dos Beattles, e de algumas músicas do Lennon.
    Boa música, intemporal, como já não se faz mais hoje em dia.

    Também acho que a Yoko é a culpada do fim dos Beattles: ó mulher detestável (não a conheço em pessoa, e espero nunca vir a conhecer, mas o meu santo não cruza com o dela).

    Foi trágica a morte dele; mas é o que dá quando se é revolucionário...(tu e eu arriscamo-nos a ter o mesmo fim lol).

    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Henrique: Twist and Shout não foi uma criação deles. Procure suas canções a partir do album Rubber Soul, você vai entender porque eles foram e ainda são os maiores.

    Max: A aparência da Yoko deve causar algum asco entre as pessoas, mas há um ditado que diz "nunca julgue um livro pela capa". Lennon viu algo nela, ele abandonou tudo por ela.

    ResponderExcluir
  4. Cidão,

    Não, não tem nada a ver com a aparência da Yoko (please)...há qualquer coisa nela que não joga com o meu Santo, é só isso.

    Ai, o amor cega-nos para muita coisa, Cidão...sabes como é. E Lennon amava-a (apesar de ele lhe ter batido umas duas vezes - bem se tivesse sido comigo, eu ter-lhe-ia dado uma porrada séria...mas enfim, ela teve "Woman" como pedido de desculpas).

    ResponderExcluir
  5. Max: Briguinha de casal, e quem se deu bem foi a Mei Pang, praticamente a Yoko apoiou que ela ficasse com ele quando houve a separação.

    ResponderExcluir
  6. A sério? A Yoko arranjou uma namorada para o marido? Mas olha, tou a ver a lógica dela: assim, teria a certeza de que a Mei não ficaria com ele quando os dois fizessem as pazes...

    ResponderExcluir
  7. Max: É, mas dizem as más línguas que mesmo depois do casal fazer a pazes, parece que John continuou a sair com a Mei por muito tempo!

    ResponderExcluir
  8. Cidão,

    Não me admiraria nada: os homens têm estômago para tudo (ou será que deveria dizer "saco"? lol)...

    ResponderExcluir
  9. Li este post mais para saber sua opinião, os beatles podem ter feito sucesso e tal, mas, sinceramente, não consigo gostar deles, de maneira nenhuma, as músicas deles nunca me tocaram, nem as letras, muuuuuito menos o instrumental, que acho pacato, morto, sem ênfase. E olha que eu me formei em Música numa Universidade Federal, fui obrigada a tragá-los, e confesso que é torturante ouvir o que eu considero como um pagode inglês, pois qualquer musiquinha deles fica impregnada na cabeça.
    Não consigo olhar com naturalidade para aqueles universitários magrelos, espinhentos, de óculos usando t-shirt com o nome BEATLES assim em letras garrafais, e tais seres pagando de intelectualóides, só por ostentarem um gosto musical que já virou clichê.
    Tudo bem... Talvez essa não seja a intenção desses seres, mas é a infeliz impressão que me passa.
    Obs: parabéns pelo seu blog, eu o conheci hoje, lendo um post sobre o Natal. Suas opiniões me despertaram vontade de ler mais!

    ResponderExcluir
  10. @Calathiel



    Os Beatles revolucionaram a música nos anos 60. São referência até hoje em qualquer estilo do rock, por exemplo, ouça Helter Skelter e você verá o primeiro metal da história.
    Respeito a sua opinião, mas pagode inglês??? Nada a declarar!!! :)

    ResponderExcluir
  11. Ótimo post, eu já tinha lido a alguns meses e novamente me deparei com ele novamente. Eu tenho apenas 15 anos e virei Beatlemaniaco a alguns anos, e sempre curti em especial o John Lennon, ele é praticamente um exemplo pra mim. E eu tenho consciência de que ele cometeu vários erros, mas ele era humano..
    Não curti muito o comentário do cara ali de cima, respeito a opinião dos outros pois sofro muito preconceito por curtir "música velha", mas acho que o carinha tá tendo uma opinião errada e ridícula..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Konnor, muita "músicas velhas" hoje são "sampleadas" por músicos do Rap e R&B, e quem curte estes estilos pensam que são novidades. Odeio isso.
      Obrigado pela visita! Um abraço!

      Excluir

Pessoal, comentem, críticas e elogios serão bem aceitos. E eu respondo, posso demorar mas respondo. Esse velho lobo do mar tarda mas não falha!!!!

Leia antes a minha Política de Comentários.

Se quiser deixar o link de uma postagem sua, utilize o código abaixo trocando o que está escrito em letra maiúscula:

<p><abbr><em><strong>SEU NOME</strong> - último post do blog... <a href="<strong>LINK-DA-POSTAGEM</strong>"><strong>TÍTULO DA POSTAGEM</strong></a></em></abbr><p>

Artigos recentes

Linkem me:

Related Posts with Thumbnails
Google