quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Como combater o plágio?


Como combater o plágio?

Nesses tempos em que quase tudo está na Internet, a moda de copiar e colar(control C e control F) tem sido deveras utilizado. Grandes personagens da blogosfera tupiniquim, tais como Ariane, Juliana, Nospheratt, Compulsivo, Luma, e tantos outros, arrancam cabelos, gritam, esperneiam, xingam, conseguem fazer com que os blogs desses plagiadores saiam do ar, mas não adianta... Sempre haverá alguém copiando outro na cara dura.

Na minha profissão, a coisa é complicada. Os alunos não sabem fazer resumos, ou trabalhos de pesquisa ( na verdade não sabem ler ou não tem paciência para fazer algo sério... maldita promoção automática... ops progressão continuada...). Eles copiam tudo na íntegra, e ainda te ameaçam quando você dá um ZERO pelo trabalho mal feito e copiado. E isso não é porque estamos na era da internet, porque antes era tudo feito na base de xerocar um livro. Eu mesmo até já recebi ameaça de morte.

Eu mesmo não peço mais trabalhos imprimidos, todos são manuscritos, e sempre há uma avaliação após a entrega. Na verdade, estou em processo de não mais dar trabalhos de pesquisa. Já que os assuntos estão em livros e na Internet, vou começar a dar avaliações em cima do tema proposto, na hora, na sala de aula.

Nessa semana, está havendo o bafafá de plágio, pasmem, entre físicos da USP, a maior universidade da América Latina. Tanto é que o vice-diretor da FUVEST ((Fundação Universitária para o Vestibular da USP), Nelson Carlin Filho, se demitiu do cargo na segunda-feira passada. Ele era físico e foi acusado de plagiar vários colegas em determinados artigos científicos.

Volto à pergunta do início do texto: Como combater o plágio?

Leis existem, mas de concreto, há punição de verdade?
Segundo o dicionário Aurélio, plágio é "Assinar ou apresentar como seu (obra artística ou científica de outrem)". A origem etimológica da palavra ilustra o conceito que ela carrega: vem do grego (através do latim) 'plagios', que significa 'trapaceiro', 'obliquo'.

O que diz a lei?
A lei diz que o plágio é crime com pena prevista para 4 anos de reclusão, e o plagiador ainda pode ser condenado como crime de falsidade ideológica.

Mas essa lei funciona mesmo? Como tudo nesse país, não. Acredito que a maior punição que um plagiador possa receber seja o monetário, além da sua total exclusão do meio onde ele está inserido. Mandá-lo para a cadeia não resolve o problema, porque o criminoso nem lá vai ficar.

Uma punição monetária dói no bolso, e nisso ninguém quer ser lesado. Vocês sabem qual é o único crime que realmente leva um cara para a cadeia, em suas devidas proporções? É o não pagamento da pensão alimentícia. Esse não tem jeito, se você é assalariado, o desconto vem todo mês e é inevitável. E como dói no bolso. Ou paga ou vai para a cadeia. Só quem passa por isso sabe do que estou falando (menos Mick Jagger, o cara tem tanto dinheiro que nem se importa, a Luciana Gimenez agradece, e seu filho também!).

Nas minhas andanças pela blogosfera, descobri o blog da Sandra Pontes, com um texto maravilhoso sobre o plágio. Confiram. É de lá que tirei o banner no início do post. Photobucket

6 comentários:

  1. Quando não é plágio, trocam as palavras por outras. Não sei bem o que vai ser do ensino daqui uns anos. Sei que vi grupo da minha turma no último ano de faculdade pagando 3 mil reais para uma mulher fazer o trabalho de conclusão de curso porque eles não tinham paciência para escrever. Veja você, futuros jornalistas! Passaram anos reeditando textos. Outro da minha turma não passou na banca por plágio. Falta criatividade, emoção na escrita, tesão em ler e escrever mesmo. Eu sou suspeita, eu amo³ ler, escrever, falar... O plágio é triste. Não imagino mesmo o que pode ser feito para combatê-lo.

    The Cult? Vou te confessar que eu não esperava tanto deste show. Ele me surpreendeu e muito! Fiquei até um pouco mais fã... Beijooooooo grande!

    ResponderExcluir
  2. Eu carrego o banner da Sandra lá no "Luz" e sei o tanto que ela luta contra isso.
    Todas as vezes que descobri cópia na íntegra ou parcial de algum texto meu foi porque alguém contou, não saio catando.
    Recentemente, deve ter visto a postagem sobre o repórter do BrasilWiki que copiou post do "luz"; ele também copiou textos na íntegra de outros jornalistas do mídia independente.
    Aconteceu uma coisa bizarra. Eu listei as 4 ultimas postagens que constava no perfil do tal repórter e as verdadeiras fontes que ele chupou os textos.
    Pasme! Um jornalista de Angola me contactou dizendo que iria retirar a postagem que fez do ar, porque tinha 'esquecido' de citar a fonte. hehehe plágio de plágio!!
    Confesso que isso desestimula publicar textos mais sérios e elaborados. Tenho alguns que cedi parcialmente direitos autorais, estão registrados e participam de campanhas. Estes textos são republicados em várias fontes e a cada fonte publicada eu ganho com isso, mas não em citação. Então, se o plagiador copia, ele me onera monetariamente, por isso haver a punição monetária.

    Quem estuda para elaborar textos e copia de outros, não tem perdão. Aos demais, crianças e adolescentes, estudantes de forma geral precisam de instrução. Como dizem por aí "É de pequeno que se torce o pepino"

    Todas as vezes em que fiquei sabendo de alguma cópia no luz, corri atrás. O comportamento de blogueiro plagiador é recorrente. Primeiro ele retira o sistema de comentários, depois deleta o post, mas dificilmente dá o braço a torcer e cita a fonte.

    Este repórter do BrasilWiki, ignorou o comentário que fiz na página dele. Os gestores do site, deram-lhe proteção, mas não sou miguxa nestas horas. Tive que designar alguém para fazer uma 'visitinha' no escritório deles em São Paulo. Só assim adicionaram a fonte de pesquisa. Tenho reservas com agregadores de notícias, vale o lema "lançou na rede é peixe"
    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderExcluir
  3. Kátia Flávia: Falta tudo na educação. Hoje um aluno termina o ensino médio sem saber ler ou escrever. Tenho um monte assim. E nada podemos fazer porque é proibido repetir.

    Sortuda. Eu queria ter ido... buááááá!!!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. Luma: Eu admiro isso em você. Vai atrás de seus direitos doa a quem doer. Às vezes, a maioria das pessoas e eu me incluindo, acaba deixando para lá porque a dor de cabeça é muito grande.
    Mas está complicado tentar mostrar isso para os jovens. A facilidade com que a Internet nos dá e a falta de leis específicas que realmente dão uma punição, fazem com que esses atos acabem sendo coisas normais. A legislação tem que mudar.

    Tenha uma boa semana!!! Beijos!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Cidão,

    Pois é...também soube, pela Luma, da onda do plágio que anda por aí, chocante!
    Ainda não vi ninguém que tivesse usado algum texto meu como sendo seu, apesar de eu suspeitar de um indivíduo que vem sempre ao mesmo artigo, nos últimos 6 meses...estranho (mas pode ser só amor ao texto...não)! Mas como fazer se a pessoa estiver do outro lado do mundo? Quem nos protege...a lei? De que país?

    São tudo questões sensíveis, e por mais que os símbolos de copyright estejam nas páginas da net, há sempre alguém disposto a quebrar a lei, porque como está num país/cidade diferente ninguém irá dar por ela...

    Algo tem de ser feito!

    Muito bom, este artigo, gato Cid!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Max: Uma coisa pode e é feita: dependendo do caso, pode haver fechamento do blog/site em questão. Dá uma dor de cabeça danada, a Luma que o diga!

    ResponderExcluir

Pessoal, comentem, críticas e elogios serão bem aceitos. E eu respondo, posso demorar mas respondo. Esse velho lobo do mar tarda mas não falha!!!!

Leia antes a minha Política de Comentários.

Se quiser deixar o link de uma postagem sua, utilize o código abaixo trocando o que está escrito em letra maiúscula:

<p><abbr><em><strong>SEU NOME</strong> - último post do blog... <a href="<strong>LINK-DA-POSTAGEM</strong>"><strong>TÍTULO DA POSTAGEM</strong></a></em></abbr><p>

Artigos recentes

Linkem me:

Related Posts with Thumbnails
Google