quarta-feira, 4 de novembro de 2009

A situação do ensino superior ou os pseudo-alunos numa pseudo-universidade

Muito se falou, muito sensacionalismo barato foi feito em alguns programas de TV, mas há um detalhe que ninguém comenta. A proliferação de universidades pelo menos aqui em São Paulo é uma coisa aterradora. E como elas só visam o lucro, elas acabam enchendo suas instalações a todo custo com tudo que existe por aí. Não há uma seleção séria, porque simplesmente isso não existe. Qualquer um entra. Dá medo dos profissionais que serão formados.

Muitos são contra o vestibular, mas infelizmente por causa do baixo ensino dado hoje em dia ele é mais do que necessário. Tem que selecionar os melhores, não importa cor, raça ou credo. Mas em nome de uma tal inclusão, questiona-se o fato de aluno pobre ou das escolas públicas não entrar nas grandes universidades, por não terem tido uma educação básica que pudessem fazê-los competir com os que vem da particular, e por isso querem criar paliativos que só empobrece o ensino superior. O sistema de cotas é um deles.

Mas aí, se aluno não consegue entrar numa USP ou outra pública, sempre sobra aquela particular da esquina, que não exige nada para entrar, apenas o compromisso de uma quantia módica por mês. Quando eu falo que não exige nada, é porque não há vestibular, e sim processos seletivos, que não são classificatórios, é apenas um meio para listar os indivíduos.

Tive um aluno que fez um desses processos seletivos e que estava triste por ter zerado na maioria das disciplinas. Aí eu o tranqüilizei (eu fui meio sarcástico) dizendo: “Calma, logo, logo você receberá uma carta deles dizendo que foi aprovado, pode ficar tranqüilo!” Um mês depois, ele estava todo feliz porque tinha sido aprovado, e me encheu de abraços. Detalhe: Ele era um dos piores alunos da sala, sempre com notas vermelhas em todas as matérias, mas sempre empurrado, sempre aprovado ano após ano.

E assim, os donos dessas instituições enchem os seus bolsos com dinheiro, pois aceita tudo que aparece pela frente. E o que aparece pela frente são os mesmos que os professores do ensino médio enfrentam todo santo dia, alunos que não conhecem limites, não sabem o que é ética, alunos que vem sendo empurrados ano após ano por um sistema educacional falho. Ou seja, todos os problemas agora vão sendo empurrados para o ensino superior.

Portanto, o que aconteceu com aqueles pseudo-alunos daquela pseuda-universidade particular é simplesmente compreensível. E adianto que ocorre coisa muito pior em outros lugares. É que esse caiu no Youtube, e acabou indo para a TV. Aqueles pseudo-alunos nada mais fizeram do que eles sempre faziam no ensino médio. Portanto eu não fico surpreso com o acontecido.

E para angariar mais trouxas, alunos, essas instituições criaram cursos de 2 anos. Nossa, imaginem fazer dois anos de faculdade e sair com um diploma superior! Uau, é o supletivo chegando na universidade!

Eles são tão sacanas que não informam aos alunos que tais cursos não lhe darão diploma de bacharelado para prosseguir os estudos de pós graduação. Eles saem com diplomas de tecnólogos (nomezinho sacana).

O aluno, coitado, pensa que fazendo só dois anos de faculdade já terá direito de fazer uma pós, o que não lhe é informado é que ele terá que cumprir mais dois ou três anos para concluir o bacharelado, aí, depois pensar em pós...

A culpa é do MEC, que tinha regras bem claras sobre formações de universidades, mas que simplesmente fechou os olhos ( e muitos encheram as mãos de grana) e deixou a coisa desandar.

Para finalizar, aquela pseudo-aluna de Turismo já teve os seus quinze minutos de fama, com certeza posará em alguma revista masculina e fará muito marmanjão feliz trancado no banheiro., além até de fazer algum porno, tipo As Brasileirinhas. Ela deve estar dando muitas risadas de nossas caras nesse momento.

6 comentários:

  1. É, realmente é difícil encarar a triste realidade de nosso país. Concluindo o Terceiro ano do EM, percebo que as universidades querem mais e mais alunos a todo custo. Cursos novos, preços novos, durações novas, enfim, mentiras novas.
    Optei pelo curso Técnico antes, e depois verei o que faço. Mas fico meio sem entender. O pessoal se mata estudando, tenho um amigo que fez o curso pré-vestibular UFSC duas vezes, e quer, vai de atrás, para alcançar seu sonho.

    Talvez esse seja o problema, agora as universidades ditam os sonhos dos alunos, e eles vão de atrás....

    Ótimo texto, desculpe o tempo sem comentar, apesar de sempre visitar (meio corrido mas visitava), grande abraço, sucesso!

    ResponderExcluir
  2. A crítica é pertinente. Embora seja totalmente favorável a ampliação do ensino superior, como forma de democratizar a educação, também creio ser inadimissível o descaso na fiscalização da educação.

    Por este motivo, não vejo mal algum em haver uma espécie de prova ao final de cada curso, digo uma prova básica de conhecimentos, o que em nada se relaciona com reserva de mercado, porque isto é um outro fator que não admito.

    ResponderExcluir
  3. Caro professor,

    Ao verberarmos a tal inclusão também não corremos o risco de matar talentos, isto é, de não dar oportunidades a quem, talvez, tenha grande potencial, mas, que, por "n" motivos sociais não teve a mesma oportunidade do que, por exemplo, alguém da classe média?

    Concordo plenamente que há muita exploração e não coaduno com o fato de o aluno evoluir no curso sem a devida aprovação. Contudo, penso que a inclusão (imagino que o mestre esteja cogitando da tal "maldita") não está diretamente ligada à baixa qualidade do ensino. As variantes são muitas.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  4. Oi Gato Cid!! :D

    Que saudade!!

    Epá...a situação aí é lixada, ein? Aqui também há umas histórias com universidades, mas todas elas têm de obedecer aos critérios do ministério da educação. A única diferença entre as privadas e as públicas é que não nestas há concurso, naquelas não.

    Na minha universidade (internacional, aulas leccionadas em Inglês), poderias ter todo o dinheiro do mundo, se não passasses nos testes de Inglês e matemática...lascou, não eras aceite nem a pau (eu sei, porque uma prima minha foi rejeitada por não falar bem inglês; contudo, foi-lhe dito que se melhorasse a língua poderia voltar a tentar entrar).

    Tudo depende da seriedade das escolas, mas principalmente de um controlo adequado por parte dos orgãos governamentais.

    Bom artigo, querido!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Rafael Silveira: A situação dos alunos concluíntes do ensino médio é de dar dó, pois aqueles que fizeram num colégio público, estão na roça, literalmente. Estude para entrar numa universidade pública. E não caia em tentação com essas novidades ditas por algumas particulares.

    Hugo: Ampliação sim, mas deve-se lembrar que um país não é feito só de bacharéis, e sim de técnicos. Um curso superior não é o santo graal.

    Marcos: Eu não sou contra a inclusão, e sim da forma como ela está sendo colocada. No estado de São Paulo a educação é tratada com números e gráficos, que podem ser manipulados a bel prazer pelos governantes sacanas que, em nome da grana advinda da Unesco, ou qualquer outra organização internacional, fazem de tudo para mostrar que a repetência diminuiu, graças à promoção automática que é essa progressão continuada.

    Max; Até bem pouco tempo atrás, o ministéria da educação era comandada por uma pessoa dona de uma universidade particular aqui de São Paulo. Ela não passava de uma faculdadezinha de esquina, mas que graças à grana vindao do banco Mundial, que passava pelas mãos dele e a de seus cumparsas, ela hoje tem campus em toda região da cidade. E o ensino é daquele jeito, entende?
    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  6. Por causa de tudo isso que está escrito no texto (brilantemente escrito, aliás) é que eu digo que universidades de verdade mesmo são as públicas. Universidades particulares, a menos que digam que não, são tudo PPP (papai pagou, passou).

    Tudo bem que boa parte delas passem por um momento difícil, mas elas ainda são o que há de melhor no ensino superior brasileiro. Por enquanto, né?

    ResponderExcluir

Pessoal, comentem, críticas e elogios serão bem aceitos. E eu respondo, posso demorar mas respondo. Esse velho lobo do mar tarda mas não falha!!!!

Leia antes a minha Política de Comentários.

Se quiser deixar o link de uma postagem sua, utilize o código abaixo trocando o que está escrito em letra maiúscula:

<p><abbr><em><strong>SEU NOME</strong> - último post do blog... <a href="<strong>LINK-DA-POSTAGEM</strong>"><strong>TÍTULO DA POSTAGEM</strong></a></em></abbr><p>

Artigos recentes

Related Posts with Thumbnails
Google